Mamoplastia

Avaliação
O exame atento do formato das mamas permite avaliar os diferentes fatores que irão determinar a escolha da técnica ou procedimento cirúrgico mais adequado. Entre eles pode-se citar a quantidade de tecido glandular e tecido adiposo; número de gestações; presença de assimetria; peso, altura e estrutura corporal do paciente; volume da musculatura peitoral; preferência da paciente; herança genética; proporção entre mamas e demais estruturas do corpo; grupo étnico e quantidade de pele, entre outros.

dornasmamas-800x600
mamoplastia-de-redução

LEVANTAMENTO OU REPOSICIONAMENTO DAS MAMAS
Este procedimento cirúrgico consiste em reduzir ou corrigir queda das mamas, causada pela flacidez da pele. É utilizada retirando-se o excesso e pele e fazendo a reposição do tecido mamário,”montando”a mama,utilizando o próprio tecido como se fosse uma prótese. Claro que não se consegue aumentar as mamas apenas com essa técnica. Quando a paciente não possui tecido suficiente para corrigir a queda das mamas, ou pretende aumentar as mamas,é necessário a utilização de prótese de silicone para a realização da cirurgia.
A mastopexia devolve às mamas a forma e a firmeza apresentadas anteriormente.

Antes e Depois
A técnica a ser utilizada depende da quantidade de tecido gorduroso, glandular e da pele presentes, além do tamanho das aréolas e da simetria das mamas. Dependendo da técnica escolhida, a cicatriz resultante pode ter a forma de um T invertido, um círculo ao redor da aréola ou uma cicatriz vertical abaixo da aréola. A cicatriz diminui gradativamente e ao longo de 1 ano torna-se quase imperceptível.
A cirurgia pode ser feita com anestesia geral ou peridural, durando cerca de 2 horas. A recuperação leva de cerca de 30 dias.

d150d1f3d2c649758a70075e7f60c734

Questões Importantes

MAMAS DE BOM TAMANHO, MAS CAÍDAS E FLÁCIDAS, O QUE FAZER?

Neste caso, está indicada uma mastopexia, que é a cirurgia realizada nas mamas com a intenção de corrigir sua flacidez e queda, sem alterar o tamanho. Geralmente esta condição ocorre após emagrecimento importante ou gestação. A forma da mama é melhorada e a aréola reposicionada. 

A PARTIR DE QUE IDADE ESTÁ INDICADA?

Não há idade definida e a indicação dependerá, além das características das mamas, do amadurecimento emocional da paciente. 

HÁ CICATRIZES?

Sempre existirão cicatrizes. Sua localização dependerá do tipo de mama e poderá estar restrita somente ao redor da aréola, em forma de “L” ou em forma de “T” invertido. A qualidade final das cicatrizes dependerá, fundamentalmente, das características pessoais de cada paciente e só pode ser considerada definitiva após período não menor do que um ano. De um modo geral, se tornam pouco perceptíveis com o passar do tempo. 

QUAL TIPO DE ANESTESIA É UTILIZADO?

Peridural ou anestesia geral. 

É NECESSÁRIA A INTERNAÇÃO?

Sim, pelo período de 24 horas.

COMO É O PÓS-OPERATÓRIO?

O pós-operatório é tranqüilo e não costuma haver dor. Não há grandes curativos e a paciente sai do hospital com sutiã pós-cirúrgico. Aproximadamente em 15 dias, os pontos são retirados e a paciente já pode retomar suas atividades. Exercícios físicos leves são permitidos em trinta dias.

É POSSÍVEL AMAMENTAR APÓS A CIRURGIA? E A SENSIBILIDADE?

A capacidade de amamentar é mantida e a sensibilidade das mamas é preservada após a mastopexia. 

OS RESULTADOS DURAM PARA SEMPRE?

Vários são os fatores que irão determinar a duração do resultado (gravidade, peso das mamas, variação do peso da paciente, gestação, qualidade de pele, efeitos hormonais…). Assim, algumas vezes poderão ser necessários retoques ou novas cirurgias dentro de alguns anos.

QUANDO PODEREI ME EXPOR AO SOL E FAZER GINÁSTICA?

Desde que se protejam as cicatrizes das mamas com biquíni ou esparadrapo de papel, não há inconveniente em tomar sol a partir de 1 mês.

shutterstock_578728813-1024x684-960x684

MAMOPLASTIA REDUTORA
A Mamoplastia redutora têm por objetivo diminuir o volume das mamas e ou melhorar a forma das mesmas, para que atinjam a harmonia com o resto de seu contorno corporal.
Assim, é importante lembrar que mulheres diferentes têm mamas diferentes sendo o resultado pós-operatório individual para cada caso.
Um bom planejamento antes da cirurgia e a discussão com o cirurgião quanto às suas ansiedades e expectativas são o melhor caminho para a obtenção de um resultado satisfatório.

O PRÉ-OPERATÓRIO
São realizados exames de laboratório, mamografia e/ou ultrassonografia mamária e outros exames que possam ser necessários em cada caso.
Devem ser relatados ao médico quaisquer doenças crônicas e/ou infecto-contagiosas, alergias a produtos e/ou medicamentos, ingestão regular de qualquer medicação e hábito de fumar.
A compra de sutiã apropriado deve ser feita com antecedência e o mesmo deve ser levado ao hospital. Deve ser levada para o hospital, ainda, uma camisa de abotoar, para ser usada na saída. Deve ser evitada a ingestão de aspirina, AAS ou qualquer outro derivado de ácido acetil salicílico, uma semana antes da cirurgia.

8f704c6e91e045c72378c71d940a59ce_XL
mamoplastia-redutora-plano-de-saude

A CIRURGIA
A cirurgia é sempre realizada em hospital, para garantir a segurança do paciente. Você deverá ser internada no dia da mesma. A alta geralmente é dada 24 horas após a cirurgia. A cirurgia é realizada sob anestesia geral ou peridural e dura cerca de três horas. Após a operação é feita um curativo com esparadrapo anti-alérgico, em forma de sutiã, que é trocado antes da alta.

O PÓS-OPERATÓRIO
Logo após a cirurgia, você observará apenas um esboço da forma definitiva de suas mamas. Elas estarão inchadas e hiper corrigidas, sendo comum a impressão de ligeiras assimetrias.
Após o primeiro mês o aspecto começa a se assemelhar mais à forma definitiva que é atingida entre 8º e o 18º meses. Dores no pós-operatório são bastante raras, você poderá sentir um desconforto por alguns dias.
Você deverá evitar carregar peso, erguer os cotovelos acima dos ombros, guiar automóvel, fazer exercícios físicos e tomar sol por um período de três semanas após a cirurgia.
Exercícios físicos intensos e pesos grandes deverão ser evitados por 2 meses.
Após a alta você poderá andar e se alimentar normalmente, não sendo necessário permanecer acamada, podendo retornara atividades moderadas após 2 dias da cirurgia. O primeiro retorno ao consultório deve ser feito após 7 dias, sendo os pontos retirados após o 15º dia. A partir de então são feitos retornos a cada 15 dias durante os 2 meses seguintes.

Mamoplastia-de-aumento-e-mastopexia
shutterstock_163881500-e1540848423842

AS CICATRIZES
Existem inúmeras técnicas para a mamoplastia, todas deixando cicatrizes bastante semelhantes, uma ao redor da aréola, outra em T invertido na parte inferior das mamas.
A cicatriz sempre existe, e cabe ao cirurgião fazer com que ela seja o menos perceptível possível.
Concorrem para isso uma série de medidas no intra e no pós-operatório. Assim, além de uma técnica cirúrgica precisa e cuidadosa, as mamas são mantidas com curativos de esparadrapo durante 1 mês após a cirurgia para evitar o alargamento das cicatrizes. Após o 1º mês são utilizados curativos com placas de silicone por sessenta dias.
Infelizmente a cicatrização depende também de uma série de fatores externos alheio à nossa vontade e, muitas vezes, fora de nosso controle. São fatores hereditários, características individuais da pele de cada pessoa, hábito de fumar, etc.
Independente do resultado final, que é atingido cerca de um ano após a cirurgia, as cicatrizes ficarão espessadas e avermelhadas nos primeiros meses, clareando e tornando-se menos perceptível com o tempo.

Questões Importantes

A CIRURGIA ESTÉTICA DAS MAMAS DEIXA CICATRIZES?

Sim,mas colocadas de maneira que fiquem esteticamente aceitáveis e realizadas de maneira que fiquem o mais imperceptíveis possível.

ONDE SE LOCALIZAM AS CICATRIZES?

Dependendo da técnica empregada, poderemos ter variações quanto às cicatrizes. Normalmente existem duas cicatrizes situadas em forma de “T” invertido, na parte inferior da mama. Aquela situada em torno da aréola fica bastante disfarçada pela própria condição de transição de cor entre a aréola e a pele normal. Desde os primeiros dias de pós-operatório poderá ser usado um “decote” bastante “generoso”, pois as cicatrizes ficam escondidas. Com o decorrer do tempo, as cicatrizes vão ficando bastante disfarçadas,chegando mesmo à quase invisibilidade em certos casos. 

OUVI DIZER QUE ALGUMAS PACIENTES FICAM COM CICATRIZES MUITO VISÍVEIS. POR QUE ISSO ACONTECE?

Certas pacientes apresentam tendência à cicatrização hipertrófica ou ao queloide. Esta tendência, entretanto, poderá ser prevista,até certo ponto, durante a consulta inicial, quando lhe fazemos uma série de perguntas sobre sua vida clínica pregressa,bem como características familiares, que muito ajudam quanto ao prognóstico das cicatrizes. Pessoas de pele clara raramente tendem a sofrer esta complicação cicatricial hipertrófica.

EXISTE CORREÇÃO PARA CICATRIZES HIPERTRÓFlCAS?

Vários recursos clínicos e cirúrgicos nos permitem melhorar cicatrizes inestéticas, na época adequada. Não se deve confundir, entretanto, o “período mediato” da cicatrização normal (do 30º dia até o 12º mês) como sendo uma complicação cicatricial.
Qualquer dúvida a respeito da sua evolução deverá ser esclarecida conosco e nunca com suas amigas que, como você, “também estão apreensivas quanto ao resultado final”.

COMO FICARÃO MINHAS NOVAS MAMAS, EM RELAÇÃO AO TAMANHO E CONSISTÊNCIA?

As mamas podem ter seu volume reduzido através da cirurgia; além disso, sua consistência e forma também são melhoradas com uma intervenção. Assim é que, para os casos de redução de volume e levantamento de sua posição, podemos optar por vários volumes, dentro das possibilidades que a mama original nos permita planejar, sem compromete-la futuramente. Aqui, como no caso do aumento do volume, deverão ser equilibradas as proporções entre o volume da nova mama e o tamanho do tórax da paciente a fim de obtermos maior harmonia estética. Nessa ocasião a flacidez e a forma da mama original são corrigidas; entretanto, “as novas mamas” passam por vários períodos evolutivos: 

a. Período Imediato: Vai até o 30º dia. Neste período, apesar das mamas apresentarem-se com seu aspecto bem melhorado, sua forma ainda está aquém do resultado planejado, pois, para que se atinja a forma definitiva, deveremos deixar “pequenos defeitos” aparentes iniciais (inevitáveis em todos os casos), que desaparecem com o decorrer do tempo. 
Lembre-se desta observação: Geralmente nenhuma mama fica “perfeita” no pós-operatório imediato. Alguns pequenos “defeitos” são planejados para que se logrem as formas mais primorosas no resultado definitivo (tardio).

b. Período Mediato: Vai do 30º dia até o 8º mês. Neste período, a mama começa a apresentar uma evolução que tende à forma definitiva oque ocorrerá após o 8º mês. São características deste período umas certas insensibilidades do mamilo, além de maior ou menor grau de “inchaço” das mamas; além disso, sua forma está aquém da definitiva. Apesar da euforia da maioria das pacientes, já neste período costumamos dizer às mesmas que seu resultado ficará melhor ainda, pois isto será a característica do 3º período (tardio). 

c. Período Tardio: Vai do 8º ao 18º mês. É o período em que a mama atinge seu aspecto definitivo (cicatriz, forma, consistência, volume, sensibilidade). É neste período que costumamos fotografar os casos operado, afim de compará-los com o aspecto pré-operatório de cada paciente. Tem grande importância, no resultado final, o grau de elasticidade da pele das mamas bem como o volume conseguido. O equilíbrio entre ambos varia de caso para caso. 

EM QUANTO TEMPO ATINGIREI O RESULTADO DEFINITIVO?

Apesar do resultado imediato ser muito bom, somente entre o 8º e 18º mês é que as mamas atingirão sua forma definitiva (vide item anterior). 
No período mediato e tardio qualquer tipo de traje, de uma ou duas peças, desde que a peça superior não fique muito justa. É claro que, após o amadurecimento das cicatrizes os maiôs poderão ser mais “generosos”, a seu critério. Nas grandes reduções mamárias, entretanto, a cicatriz horizontal é um pouco mais extensa o que determinará a escolha do maiô que melhor disfarce sua presença. 

NO CASO DE NOVA GRAVIDEZ, O RESULTADO PERMANECERÁ OU FICARÁ PREJUDICADO?

O seu ginecologista lhe dirá da conveniência ou não de nova gravidez. Quanto ao resultado, poderá ser preservado, dependendo do aumento do volume mamário na gravidez e lactação. Quando se tratar de mamas muito grandes, que foram reduzidas acentuadamente, a lactação poderá ficar prejudicada. Em casos de pequenas e médias reduções a lactação poderá ser preservada.

O PÓS-OPERATÓRIO DA CIRURGIA MAMÁRIA É DOLOROSO?

Não. Este pós-operatório é indolor, desde que você obedeça às instruções médicas, principalmente no que tange à movimentação dos braços nos primeiros dias. 

HÁ PERIGO NESTA OPERAÇÃO?

Raramente a cirurgia plástica mamária sofre complicações sérias. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente, além de ponderarmos sobre a conveniência de associação desta cirurgia, simultaneamente a outras. O perigo não é maior ou menor que viajar de avião, automóvel, ou atravessar uma via pública.

QUAL O PERÍODO DE INTERNAÇÃO?

De 12 a 24 horas. 

SÃO UTILIZADOS CURATIVOS?

Sim. Curativos e modeladores, especialmente adaptados a cada tipo de mama. Os curativos são trocados periodicamente. 

QUANDO SÃO RETIRADOS OS PONTOS?

Apesar da grande maioria dos pontos serem internos e não ser preciso retirá-los,há alguns pontos externos que serão retirados a partir do 15º dia. 

QUANDO TOMAREI BANHO COMPLETO?

A partir do primeiro dia as cicatrizes já podem ser molhadas.

QUANDO PODEREI RETORNAR A MINHA GINÁSTICA?

Geralmente após 45 dias. 

A PARTIR DE QUE IDADE ESTÁ INDICADA?

Não há idade definida e a indicação dependerá, além das características das mamas, do amadurecimento emocional da paciente. 
Em geral, está indicada a partir dos 15 anos. 

QUE TRANSTORNOS PODEM SER PROVOCADOS POR MAMAS MUITO GRANDES E PESADAS?

Mamas grandes, pesadas e caídas podem provocar problemas posturais, dores nas costas, deformidades na coluna cervical e torácica e mastalgia (dor na mama). Além disso, geralmente há importante prejuízo emocional à paciente. 

OS RESULTADOS DURAM PARA SEMPRE?

Vários são os fatores que irão determinar o tempo de duração do resultado (gravidade, peso das mamas, variação do peso da paciente, gestação, qualidade de pele, efeitos hormonais…). Assim, algumas vezes, poderão ser necessários retoques ou novas cirurgias dentro de alguns anos. 

QUANDO PODEREI ME EXPOR AO SOL?

Desde que se protejam as cicatrizes das mamas com biquíni ou esparadrapo de papel, não há inconveniente em tomar sol a partir do 1º mês.